Domingo IV da Quaresma

Evangelho Jo. 3, 14-21

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

Naquele tempo, disse Jesus a Nicodemos: «Assim como Moisés elevou a serpente no deserto, também o Filho do homem será elevado, para que todo aquele que acredita tenha n’Ele a vida eterna. Deus amou tanto o mundo que entregou o seu Filho Unigénito, para que todo o homem que acredita n’Ele não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus não enviou o Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por Ele. Quem acredita n’Ele não é condenado, mas quem não acredita já está condenado, porque não acreditou no nome do Filho Unigénito de Deus. E a causa da condenação é esta: a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque eram más as suas obras. Todo aquele que pratica más ações odeia a luz e não se aproxima dela, para que as suas obras não sejam denunciadas. Mas quem pratica a verdade aproxima-se da luz, para que as suas obras sejam manifestas, pois são feitas em Deus. 

Palavra da salvação.


Concentra-te e faz o sinal de cruz para iniciares a leitura orante de hoje. Não te esqueças de invocar o Espírito Santo, com a oração que te demos como exemplo ou com uma oração pessoal. Seja de que maneira for, é importante que o faças. Com a ajuda do Espírito de Deus, mais facilmente entrarás nos mistérios da Sua Palavra.

Lectio

Lê, uma primeira vez, o Evangelho de hoje, de forma descontraída mas concentrada. Não te preocupes em fazer uma análise do texto (não é este o objectivo!); lê-o tendo em conta que é Deus que te fala, a ti pessoalmente. Depois, lê mais uma ou duas vezes (ou as vezes que quiseres) e tem em atenção, principalmente, duas coisas: as personagens que surgem neste excerto e o diálogo que travam entre elas. Facilmente identificas estes pormenores. Na preparação para a Paixão e Ressurreição do Senhor, somos convidados hoje a olhar, para começar, na necessidade da elevação do Filho. Para tal, Ele tem de morrer na cruz. Nela, o Filho de Deus mostrou a Sua Glória ao morrer para salvar toda a humanidade. É do sangue que dela escorre que nasceu a Igreja. Como o próprio Jesus diz no Evangelho de hoje, “também o Filho do homem será elevado, para que todo aquele que acredita tenha n’Ele a vida eterna”. Não nos podemos esquecer do que disse São Paulo aos Coríntios: “a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus” (1Cor 1, 18). Por isso na morte de cruz e na ressurreição se manifesta como nunca o grande poder de Deus.

Meditatio

Agora, medita sobre a Palavra que acabaste de ler e reflecte sobre o que Ela te diz neste exacto momento da tua vida. É uma meditação muito pessoal e eu pouco posso ajudar neste passo. Quando meditas na morte e na ressurreição de Jesus, experimentas esta sensação de agradecimento que devemos ter ao contemplar a morte de Jesus por nós? Tens clara noção de que é através destes acontecimentos que somos salvos?

Oratio

Chegou a altura de conversares com Deus, abre-lhe o coração e fala abertamente com Ele sobre aquilo que meditaste antes. Peço-te, Pai, para que a Cruz do Teu Filho seja a salvação e a fonte de vida de toda a humanidade. Que ela seja também fonte de esperança para os que sofrem por causa do Teu Filho.

Contemplatio

Agora coloca-te numa posição de adoração e agradecimento ao Deus Pai, Filho e Espírito Santo. Deixa-te estar, humildemente, e esforça-te por sentir a Sua presença. Entrega-te a este momento de adoração. Quando quiseres, termina este tempo de oração a partir da Sagrada Escritura, tendo a certeza de que a morte de Jesus na Cruz não foi derrota mas a Sua vitória e a de toda a humanidade através da Sua ressurreição.

Marcações: Lect'Yo, Ano B

Imprimir

Cristo Jovem - Pastoral Juvenil, comunicação e evangelização

Juventude que acredita!
Segue-nos em

LECT'YO