Opinião

"13 Reasons Why" ou “Por 13 razões” em português: a verdadeira lição

0
0
0
s2sdefault

Se conversaste com um adolescente recentemente, provavelmente já ouviste falar da série "13 Reasons Why".

(Alerta: Spoilers mais abaixo!)

Independentemente da controvérsia gerada pela série, é impossível negar o reboliço entre os espectadores. Em poucas semanas, "13 Reasons Why" deixou uma marca maior do que qualquer outra série original da Netflix (sim, maior ainda do que Stranger Things). Para quem trabalha com jovens e até mesmo para os pais, é importante estar familiarizado com esta série, com base num best-seller para jovens adultos. A série aborda temas como o bullying, o namoro, a agressão sexual e o suicídio - e faz isso de forma explícita, gráfica e violenta. É uma série difícil de assistir!

Mas afinal, porquê que uma série tão intensa é tão popular? Porque as pessoas se identificam com ela.

Claro que a ficção é dramatizada, mas sabemos que as crianças podem ser muito cruéis. As raparigas são muitas vezes sujeitas a comentários e a gestos inadequados nos corredores da escola. Todos os adolescentes circulam com uma “tela mágica” no bolso, constantemente a medir o quão atraente e populares são. De um momento para o outro os rumores espalham-se sem a oportunidade de defesa ou verificação dos factos. Para se integrarem, os adolescentes comprometem-se ou pior, esquecem a sua moral e bons valores.

Mas "a escola é um lugar terrível" não é a lição que eu quero que as pessoas tirem de “13 Reasons Why”. Espero que os telespectadores saiam com uma compreensão mais profunda da bondade. Num seminário de desenvolvimento profissional que participei recentemente, discutimos a diferença entre "bom" e "gentil". "Bom" envolve ações ou palavras que vêm do pescoço para cima. "Gentil" envolve ações e palavras que são do pescoço-para baixo. Bom é da cabeça; Gentil é do coração.

A falta de bondade dá força ao enredo de "13 Reasons Why". Se os colegas de Hannah tivessem sido genuinamente gentis, a vida dela poderia ter seguido um rumo muito diferente. Quase todos os personagens parecem simpáticos. A Jessica e o Alex são os primeiros amigos de Hannah. Courtney e Marcus são o estereótipo do adolescente perfeito que é "amigo" de todos. O Zach senta-se ao pé de Hannah quando esta tem uma má experiência num encontro. Mas esses personagens ficam-se pelo bom, acima referido. As ações deles vêm do cérebro, e o coração nunca realmente se envolve quando eles interagem com Hannah. Quando o relacionamento com Hannah se torna difícil ou desconfortável, eles não conseguem permanecer junto a ela com a mesma lealdade.

Exceto Clay, o nosso protagonista. Embora ele tenha alguns momentos não tão bons, Clay exibe bondade genuína. Ele permanece amigo de Hannah mesmo quando circulam boatos sobre ela. Estende-lhe a mão e pergunta se ela está bem (e pergunta isso com preocupação genuína). Clay não é perfeito, mas tenta perceber a fundo quando as coisas ficam mais complicadas para Hannah.

E aqui é onde eu quero expandir o nosso entendimento da bondade. A bondade é uma rua de dois sentidos, isto é, a resposta de Hannah à pergunta de Clay é realmente desagradável e pouco gentil. Ela manda-o calar; Na verdade, Hannah grita com Clay para deixá-la sozinha e mesmo sabendo que precisa de ajuda, ela não deixa Clay aproximar-se.

Em momentos difíceis, tento não sobrecarregar os outros com as minhas tristezas. Não partilhar a minha dor parece ser a melhor coisa a fazer, mas a longo prazo, isso só prejudica os meus relacionamentos. Esconder é cruel para nós e para os que estão à nossa volta. Em vez disso, devemos ser honestos com as pessoas que nos podem auxiliar e também precisamos de rezar. Se não pedirmos conforto a Jesus, provavelmente estamos a procurar este conforto nos lugares errados. Certamente não conseguiremos encontrar paz em nós mesmos.

Quero também abordar um momento de bondade provavelmente incompreendido na série. Ao longo dos episódios, Clay vai percebendo a importância da bondade. No último episódio, ele diz ao director da escola: "Isto tem de melhorar. A maneira como nos tratamos e olhamos uns para os outros, tem que melhorar de alguma forma. "

Depois disso, Clay caminha pelo corredor e aproxima-se de uma amiga com quem foi perdendo contacto ao longo dos anos. Quando ela pergunta se ele está bem, ele responde: "Não, é normal?"

Li um comentário que interpreta esta cena como se Clay estivesse a tentar compensar de alguma forma o facto de não ter conseguido ajudar Hannah o quanto poderia, por não ter conseguido chegar ao fundo da questão dos problemas com ela. Mas o verdadeiro acto de bondade aqui é a honestidade de Clay sobre não estar bem. Ele está a agir de acordo com o que tinha dito anteriormente ao director da escola: Ele está a tratar melhor o próximo.

Bondade exige abertura e honestidade por parte de todos. Lembre sempre aos adolescentes que quando estão na escola ou com amigos, eles podem escolher ser cuidadosos ​​e gentis quando perguntam a alguém: "Como estás?" A bondade é um acto de amor, que pode ajudar o próximo a voltar a um caminho mais feliz. Prepare-os para que não se contentem com respostas que não vão além de "bom", e que façam pelo menos uma pergunta de acompanhamento, sempre. E incentivá-los a responder a esta mesma pergunta honestamente, quando questionados.

Sim, Clay, é normal não estar bem...

 


Artigo publicado originalmente no site youthministry.com.

icone redondo

Juventude que acredita!
Segue-nos em

LECT'YO

Copyright © Cristo Jovem  |  Powered by Wok Design