No princípio era o verbo

0
0
0
s2sdefault

A comunicação entre os homens e como reaprender a comunicar

Aqui há uns tempos atrás dei boleia a um viajante: ele estava de pé na berma da estrada e, consoante me ía aproximando dele, percebi que seguiriamos na mesma direção. Então eu parei e fiz sinal para que entrasse. Ele entrou no carro (um homem na casa dos cinquenta anos) e apresenta-mo-nos um ao outro.

Começamos então uma conversa de quebra-gelo de duas horas, em que partilhamos as nossas histórias, rimos um do outro e aprendemos sobre as esperanças, sonhos e arrependimentos pelos quais já tinhamos passado. A conversa era verdadeira, e quando chegamos ao nosso destino, antes de partir, ele tirou um livro de poesia lindamente encadernado e disse que queria que eu ficasse com ele - como adoro escrever poesia, aquele gesto significou o mundo para mim.

Foi este encontro com uma pessoa completamente desconhecida que me fez realmente pensar sobre como e porquê que comunicamos uns com os outros e o quanto a forma de comunicar mudou nos últimos tempos. Abaixo está um vídeo que foi criado para nos fazer pensar sobre a maneira de como estamos a mostrar a nossa vida pessoal aos outros - essencialmente, a forma como nos comunicamos com os outros. É um desafio e questiona-nos se essa forma de comunicação é uma forma saudável para o nosso bem-estar mental e para o bem-estar dos outros.

Há um elemento muito subtil e, no entanto, imensamente poderoso neste vídeo, que podes ou não ter reparado: não existe um único momento de diálogo ou conversa! Vemos muitas palavras escritas, mas não escutamos uma única palavra. Porquê que isso é tão chocante? Porque quando pensamos em comunicar com outra pessoa, naturalmente pensamos em falar com eles cara a cara - e, no entanto, isso foi completamente, e presumo intencionalmente, ausente do vídeo.

E eu acho que isso faz alusão a uma ironia angustiante e emergente da sociedade ocidental; a comunicação nunca foi tão fácil como nos dias de hoje, no entanto não estamos verdadeiramente a comunicar. Diferentes meios de comunicação estão sempre à nossa volta mas ainda assim não estamos a dizer às pessoas como realmente somos. Podemos enviar um emoji ou um meme, podemos gostar de uma foto de perfil ou de um artigo, mas não estamos a partilhar as nossas histórias umas com as outras, e estamo-nos a esquecer de como é que se conversa - falar realmente - com outra pessoa cara a cara . As redes sociais estão-se a tornar rapidamente no lugar onde a comunicação irá morrer.

"Mas nem tudo está perdido e ainda podemos fazer algo", disse o Papa Francisco numa mensagem para o Dia Mundial das Comunicações Sociais de que "não é tecnologia que determina se a comunicação é ou não autêntica, mas sim o coração humano e a nossa capacidade de usar sabiamente os meios que estão à nossa disposição ". A parte positiva é que podemos reencontrar a essência da comunicação ainda enraizada no desejo do coração humano de estar com os outros e compartilhar a realidade com os outros. É por isso que a comunicação é tão importante, porque abrimos o nosso mundo para outra pessoa, e a outra pessoa abre o seu mundo para nós. Aprendemos enquanto comunicamos; Nós temos coisas que nos são apresentadas, que talvez nunca tenhamos reparado ou visto antes. Acreditamos apenas pela comunicação - e tudo deve ser comunicado se quisermos acreditar - Cristo foi a Palavra de Deus. Nós chegamos ao amor pela comunicação, não podemos conceber qualquer tipo de relacionamento em que não haja comunicação.

Os meios que actualmente temos para a comunicar são bons, mas devem ser usados ​​para comunicarmos de forma verdadeira!

No vídeo, vimos pessoas a capturar as suas vidas através de snapshots, mas aquelas fotografias não representavam a realidade, e o que não representa nem reflete a realidade não é verdade - é uma mentira. O filósofo do século XX, Josef Pieper, lutou muitas vezes com a questão de saber se uma mentira poderia ser considerada como forma de comunicar; Finalmente concluiu que não poderia porque "uma mentira é o oposto da comunicação. Significa especificamente reter parte da realidade e partilhar apenas uma pequena parte da verdade".

Então, vamos tornar isto mais prático. Abaixo seguem três dicas para redescobrir a comunicação autêntica.

1. Cara a Cara

Não vou dizer-te que saias para procurar alguém a quem dar boleia e leva-lo pelo país, ou ir ao encontro de uma pessoa aleatória na rua e começar a abrir o teu coração. Mas começa por falar com quem te é mais próximo sobre a tua vida e descobre algo sobre a deles. Não é uma tarefa árdua; É uma grande alegria poder conversar com os outros. Então fecha o computador portátil, desliga o telemóvel e sai para estar com pessoas.

Eu acho que é uma boa ideia começarmos por contabilizar quanto tempo gastamos nas redes sociais, em comparação com quanto tempo gastamos com um amigo a falar cara a cara. Se acharmos que estamos a gastar três horas por dia nas redes sociais e, no entanto, apenas essa quantidade de tempo é total com um amigo durante uma semana inteira, então deveríamos começar a pensar sobre como podemos mudar esta proporção.

2. Nada de mentiras

Não devemos manipular e alterar a nossa vida para algo que ela não é só para somarmos pontos e ganhar a admiração dos outros. Escusado será dizer que o que revelamos às outras pessoas, e o quanto permitimos que saibam das nas nossas vidas, deve diferir consoante a relação que temos com diferentes pessoas. Vamos revelar muito mais para um amigo ou para um namorado, do que iremos revelar a alguém a quem damos boleia, e está tudo bem com isso, aliás é importante que assim seja, significa que reconhecemos e respeitamos o valor dos diferentes relacionamentos que vivemos e o que é adequado para cada qual conhecer de nós.

Ainda assim, quando comunicamos com os outros - seja cara a cara, ou através das redes sociais - não devemos passar uma imagem falsa daquilo que realmente somos. A afirmação que vem de alguém que coloca "gosto" numa mentira publicada por nós serve apenas para revelar o quanto realmente estamos distantes dos outros. Se nos apresentamos aos outros para procurar aceitação através de uma mentira, então, paradoxalmente, isso serve apenas para nos isolarmos ainda mais.

3. Comunica com Deus

Sobretudo, fala com Deus.

Deus, o Pai, enviou o Seu único Filho ao mundo para que pudéssemos comunicar com ele cara a cara. Há dois mil anos atrás, as pessoas falaram com Deus cara a cara. Hoje dizem-nos que Cristo é o Verbo Eterno, e que assim a comunicação que eles tiveram com ele, cara a cara naquele tempo, ainda a podemos ter aqui e agora: essa comunicação está viva e ainda está ativa.

Deus quer que nos comuniquemos com Ele, e Ele mostrou isso, evidentemente, quando nos enviou o Seu Filho. Ele atingiu-nos com o seu amor para que pudéssemos saber como melhor chegar a Ele, como nos apresentarmos diante dele, como conversar com ele e como amá-Lo.

Se pudermos fazer essas três coisas de forma fiel, então começaremos a redescobrir o caminho para uma comunicação mais autêntica. Todas as palavras triviais e desnecessárias cairão ao longo caminho e juntar-nos-emos, coração com coração, sendo capazes de nos voltarmos a encontrar connosco próprios de uma forma real e com significado, capaz de enriquecer e preencher as nossas vidas.

 


Artigo publicado originalmente no site CatholicLink.

icone redondo

Juventude que acredita!
Segue-nos em

LECT'YO

Copyright © Cristo Jovem  |  Powered by Wok Design